segunda-feira

MEMORANDO DE DEUS


MEMORANDO DE DEUS 
Vejo que choras. Teu choro atravessa a escuridão, infiltra-se pelas nuvens, mistura-se com a luz das estrelas e chega ao meu coração, na trilha de um raio de Sol. Angustiei-me pelo grito de uma lebre estrangulada no laço de uma armadilha, um pardal caído do ninho materno, uma criança que se batia indefesa num lago, um filho que derramava seu sangue na cruz. Sabes que te escuto. Fica em paz. Acalma-te. Eu trago o alívio para o teu pesar, pois sei qual é a causa...e a cura. Choras por todos os teus sonhos de infância, que desapareceram com os anos. Choras por todo o teu amor próprio, que foi corroído pelo fracasso. Choras por todo o teu potencial, que foi barganhado por segurança. Choras por toda a tua individualidade, que foi pisoteada pelas multidões. Choras por todo o teu talento, que foi desperdiçado pelo uso errado

Postar um comentário