sábado

Doce Caminhar ...



Doce Caminhar Sempre caminhei
com algo fatídico apertando meu peito.
 Sentia forte em certos momentos
 este incomensurável vazio,
 Era como se algo muito grande 
em mim faltasse a tempos. 
Comovia-me no silêncio da
 impressão de um chegar tardio. 
 Permaneci distante como que 
nos olhos um esperar profundo, 
Maneira pela qual fui capaz de
 meticuloso instigar meus sentidos. 
Distingui razões de pensar na vida 
como uma estrada sem rumo, 
Fixando como seguro a marca
 exata de início certo e final previsto. 
 Nesta vereda conheci muitas 
pessoas e dividi muitos sorrisos. 
Chorei algumas lágrimas para 
despertar meu corpo caído,
 E entendi que o que mais procuramos 
está em ser e não em ter. 
 Persuasão íntima da certeza que não 
importa por onde quer que eu ande, 
Que todos meus caminhos percorridos 
incansavelmente em busca da felicidade 
Levam-me consciente
 e sem receios ao doce encontro de Você.
 Poema Junior Love
Postar um comentário