sexta-feira

PEDAÇO PERDIDO ...



PEDAÇO PERDIDO  
 Esta é a história do círculo no qual faltava um pedaço.
 Grande triângulo fora arrancado.
 O círculo queria ser inteiro, sem nada faltando, então foi procurar o pedaço perdido.
 Como estava incompleto e só podia rodar lentamente, admirou as flores ao longo do caminho. Conversou com os insetos. 
Observou o sol. 
 Encontrou vários pedaços diferentes, mas nenhum deles servia. 
Então, deixou-os todos na estrada e continuou a busca.
 Certo dia, o círculo encontrou um pedaço que se encaixava nele perfeitamente.
 Ficou tão feliz! Seria inteiro. 
 Incorporou o pedaço que faltava e começou a rodar. Agora que era um círculo perfeito, podia rodar muito rápido, rápido demais para notar as flores e conversar com os insetos. 
Quando percebeu como o mundo parecia diferente ao rodar tão depressa, parou, deixou o pedaço na estrada e foi embora rodando lentamente. 
 Somos mais inteiros quando sentimos falta de algo. O homem que tem tudo é, sob certos aspectos, um homem pobre. 
Nunca saberá o que é ansiar, esperar, nutrir a alma com o sonho de algo melhor.
 Nunca saberá o que é receber de quem ama algo que sempre quis e nunca teve.
 Quando aceitarmos que a imperfeição é parte do ser humano, e pudermos, a exemplo do círculo, continuar a rodar pela vida e apreciá-la, teremos adquirido a integridade que todos desejam.
 E, finalmente, se formos corajosos o bastante para amar, fortes o bastante para perdoar, generosos para exultar com a felicidade alheia e sábios para perceber que há amor suficiente para todos, então poderemos atingir a plenitude que nenhuma criatura viva atingiu. Poderemos regressar ao Paraíso.
Postar um comentário